Os Principais Erros no Início da Carreira

0 568

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Os primeiros anos de qualquer profissão representam um período significativo de aprendizado não só a respeito da profissão, mas também da pessoa em relação as exigências do trabalho. Essa fase costuma ser desafiadora e cheia de surpresas, já que temos muitos conceitos errôneos e fantasias no início da vida profissional. Muitas expectativas que as pessoas têm a respeito do trabalho e até mesmo em relação a si mesmas podem não coincidir, causando o “choque de realidade” e esse acontecimento é percebido nos primeiros anos de todas as profissões.

Comecei a trabalhar muito cedo e com toda a inexperiência e ansiedade que um jovem pode ter, cometi vários erros. Inicialmente, eles despertaram em mim uma grande angústia e em outros momentos, muita frustação… Porém, a maturidade inevitavelmente chegou e aprendi que: errar faz parte e que mesmo diante dos tombos, o melhor a fazer é sempre aprender com os nossos erros e recomeçar quantas vezes forem necessárias.

Vamos deixar de blá, blá e ir direto ao ponto. Pois agora, vou compartilhar os principais erros que eu cometi no início da minha vida profissional:

Ser perfeccionista.

A qualidade do que fazemos sem dúvida é muito importante, mas perfeição é algo quase impossível. Além de nos demandar mais tempo para executar, gera um desgaste enorme em nós. O segredo é fazer com qualidade no menor tempo possível e ter consciência de que perfeição não existe!

Pensar demais.

Parar e refletir sobre nós mesmos, sobre a vida e nossas escolhas é indispensável. Porém, a vida exige de nós mais do que pensar! Faça, tome uma atitude e arriscar-se porque seja qual for a escolha, todas elas terão consequências.

Fazer tudo.

Participar de todos os cursos e palestras, ler todos os livros, fazer todas as atividades no trabalho (inclusive aquelas que são responsabilidade de outra pessoa)…UFA! Será você um super-homem ou uma mulher-maravilha? Ter sede de conhecimento, aprender coisas novas é sempre muito positivo, porém é importante ter foco. Ficar correndo de um lado para outro, começar muita coisa e não conseguir terminar é realmente produtivo? Bom, aprendi que não! Na verdade, o que percebi depois de insistir nesse caminho foi que é extremamente cansativo e gera pouquíssimos resultados. De que serve correr quando se está no caminho errado? (Provérbio bávaro).

Ser o dono da razão.

Conviver com pessoas exige de você flexibilidade e respeito. Respeitar a forma como o outro pensa e se comporta. Pois então, agora isso é muito óbvio, mas lembro que lidar com isso no início da minha carreira era bem estressante. Ficava irritada com as diferenças do outro e tentava de alguma forma mostrar que o meu jeito era o “certo” e isso, além de me distanciar das pessoas, fazia de mim alguém que vivia num mundo muito limitado. Nós crescemos e evoluímos muito mais quando nos relacionamos com outras pessoas, todos têm algo para nos ensinar. Essa é a melhor forma de trocar experiências, aprender, ver o mundo com outros olhos e abrir a nossa mente.

Querer controlar tudo.

Controlar as pessoas, os acontecimentos, a vida…Nossa! Aqui eu sofri bastante até aprender que existem coisas incontroláveis e que o melhor que poderia fazer em relação a isso era aceitar.

Não pedir ajuda.

Tentar resolver “tudo” sozinho é possível, mas às vezes o tempo que você leva pode ser infinitamente maior. Reconhecer que não sabe de tudo e que tem alguém que pode te ajudar não faz de você alguém incompetente, muito pelo contrário: você, além de capaz, é muito sábio.

Não investir em autoconhecimento.

O autor João Villamarín no livro “Da escolha profissional ao emprego” (2000), afirma que uma pessoa não poderá chegar a uma conclusão sobre suas reais possibilidades sem antes conhecer a si mesmo. E isso hoje faz todo o sentido para mim. Se eu me conhecesse melhor quando comecei minha carreira, sem dúvida teria feito muita coisa diferente. É importantíssimo, você compreender quais são suas limitações, suas qualidades, o que você quer e o que não quer também, seus valores, suas crenças, o que te motiva, etc. Eu só tomei consciência disso há pouco tempo e desde então, muitas coisas começaram de fato a evoluir, muitas possibilidades surgiram e agora tenho mais tranquilidade por saber que um novo caminho começa a ser trilhado dentro daquilo que eu tanto buscava.

Muito a sucesso a todos e até o próximo post.

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.