64 Dicas Para Liberar o Potencial Do Seu Cérebro – Parte 1

0 494

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Nem anos, décadas ou séculos de psiquiatria, psicologia e neurologia foram capazes de explicar o funcionamento do cérebro humano. Você já parou para pensar em como descargas elétricas entre neurônios podem constituir um pensamento, uma grande ideia ou até mesmo uma lembrança?

Este artigo foi dividido em três partes e neles contém as dicas científicas mais eficientes (das óbvias as mais inusitadas) para fazer seu cérebro trabalhar a seu favor.

 

Como driblar a dor:

  1. Distraia-se: A dor é uma informação neurológica enviada pelos sentidos e interpretada pelo cérebro. O ponto mais fácil para interromper esse circuito é nessa reta final oferecer outro estímulo para o cérebro, que comprovadamente diminui a sensação de incômodo.
  1. Respire: Um desses estímulos pode ser sua própria respiração. Inale profundamente e concentre-se no ar sendo expirado. Além de oferecer um “desvio de foco”, a respiração relaxa os músculos e melhora a circulação, atenuando a dor.
  1. Visualize-se sem dor: Outra distração poderosa é a imaginação. Ela pode ser especialmente útil em situações mais longas, como um tratamento na cadeira do dentista. Feche os olhos, concentre-se e se imagine em outro lugar, fazendo outra atividade e sem dor nenhuma.
  1. Medite: É uma mistura das dicas 2 e 3. Esvazie a mente, respire profundamente e repita um mantra (uma palavra ou frase positiva). Um estudo publicado no Journal of Neuroscience diz que a meditação é capaz de reduzir a intensidade da dor em até 27%.
  1. Xingue: Outra pesquisa, da Universidade Keele, no Reino Unido, constatou que soltar uns palavrões alivia o sofrimento. De certa maneira, é outra forma de mobilizar a atenção do corpo. Mas atenção: a técnica só é eficaz em quem não tem o hábito de xingar.
  1. Aperte-se: A acupressão é uma técnica que alivia a tensão através de pressão em pontos do corpo. Os principais são os pulsos, a nuca, os ombros, o peito do pé e o espaço entre o dedo indicador e o polegar. Pressione por alguns segundos e com intensidade moderada.
  1. Analise: Se você sabe a causa imediata da dor (como bater o pé na quina da mesa), estudos indicam que um modo de aumentar a tolerância é analisa-la de maneira objetiva. Lembre-se de que essa dor não irá mata-lo. Você já experimentou outras vezes e ela passou.
  1. Aprove a dor: É uma extensão da dica 7. Uma pesquisa conduzida pela Universidade de Turim, na Itália, provou que pacientes que consideravam sua dor “útil” (com uma finalidade positiva) eram capazes de suportá-la por mais tempo do que os que consideravam sem propósito.

 

Como bombar a criatividade

  1. Acumule experiências: Elas são a matéria-prima da criatividade. Quanto mais variadas, maior sua bagagem de referência e maior a chance de encontrar a sacada que você busca. Então, não adianta levar uma vida quadrada: tente coisas novas, conheça gente diferente, etc.
  1. Não julgue: Sair do óbvio exige um grande exercício: suspender o julgamento. Esqueça seus conceitos do que é “certo ou errado”. Isso vale tanto para novas experiências quanto para o brainstorming em busca de ideias. Aceite o que sua mente (e sua vida) trouxer para você.
  1. Fuja da rotina: Outra vantagem de adotar novas atividades ou hábitos é que eles geram estímulos diferentes – o remédio perfeito para qualquer bloqueio criativo. Você pode descobrir, por exemplo, que tem as melhores ideias correndo, pintando ou ouvindo música.
  1. Monte um Bullet Journal: As ideias estão fluindo? Nos momentos mais inesperados? Ótimo: é hora de manter um bullet journal: nada mais do que a sua agenda, só que preenchida com textos, listas, fotos, desenhos, nomes, sonhos, etc. Leve sempre com você e crie o costume de anotar tudo.
  1. Estimule-se: Mesmo fazendo tudo isso, é ingênuo achar que ideias geniais surgem do nada. É preciso colocar a cachola para trabalhar. Para solucionar um problema, por exemplo, raciocine sobre ele, busque motivações, faça perguntas e conexões entre temas parecidos. Leia. Converse.
  1. Organize a “chuva de ideias”: Brainstorming é uma técnica de “jogar na roda” tudo o que vier na cabeça. Com as ideias no papel, faça listas de prós e contras. Vale a pena estabelecer um tempo para isso – assim, você não corre o risco de, na pressa, julgar demais o que está fazendo.
  1. Não tenha medo: Também é essencial abrir mão do medo, seja de não ter uma boa ideia, seja de quebrar regras, seja de fracassar. Nesta fase do processo, isso só serve como bloqueio. Quando ele surgir foque em uma imagem mental de você mesmo conquistando o que deseja.
  1. Descanse: É preciso saber se estimular, mas também saber parar. Um pouco de ócio criativo prepara o cérebro para voltar com tudo quando for necessário. Dormir bem é essencial: no sono, registramos novas informações e, no sonho, o subconsciente ativa novas ideias.

Aguarde a segunda parte deste artigo ?

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.