5 Coisas que Aprendi Trabalhando em uma Multinacional

0 764

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Trabalhar numa multinacional é o sonho de muitos jovens. Normalmente, esse tipo de empresa oferece um plano atrativo de benefícios, infinitas possibilidades de aprendizado, ascenção profissional e um salário muitas vezes bem “interessante”. Sim, é verdade! As possibilidades são muitas mesmo. Porém, quero lembrar que não é a única alternativa para crescer profissionalmente (falarei mais sobre isso em outro post).

As multinacionais são empresas que produzem bens ou serviços e possuem escritórios em vários países. O cenário é muito dinâmico e intenso, o ritmo é bem acelerado. É um ambiente onde a única certeza que se tem é que as coisas mudam. Tudo acontece muito rápido. Eu confesso que antes de trabalhar em uma, não tinha a maior noção como era os bastidores de uma empresa assim. É diferente de TUDO que eu já vi e vivi.

Tenho 29 anos e já tive várias experiências profissionais. Passei por pelo menos 10 empresas, entre setor público e privado, a maioria delas no segmento de prestação de serviço. Devo admitir que cada experiência foi importante, em todas elas pude trabalhar com excelentes profissionais,  fazer grandes amigos, aprender muito e evoluir como pessoa e profissional. Porém, nada se compara a experiência de trabalhar numa multinacional.

Você pode estar aí curioso, querendo saber o que eu aprendi trabalhando em uma multinacional. Pois bem, vou compartilhar os aprendizados mais significativos para mim ao trabalhar numa empresa assim. Vamos lá?

Resiliência

A pressão por resultados em uma multinacional é muito grande. E muitas vezes, só o esforço não será suficiente para ser reconhecido como um profissional competente. Em outras ocasiões, você poderá ter um líder de personalidade “difícil” que só pensa em números e esquece que você é gente. Ou de repente, você vai ter que lidar com um colega de trabalho desleal que vai usar de todos os artifícios (puxar inclusive o seu tapete na primeira chance que tiver) para ser promovido antes de você, além de tantas outras situações que podem por um momento abalar o seu controle emocional. Bem, todas essas situações eu vivenciei! Sofri muito e me frustei algumas vezes...mas posso dizer que minha capacidade de suportar pressão e enfrentar situações de maior desgaste emocional aumentou bastante. Não foi fácil, mas hoje estou mais forte e mais preparada para novos desafios!

Flexibilidade/Adaptabilidade

Como disse anteriormente, o cenário é de constante mudanças e não há tempo nem espaço para burocracia. Para os problemas que surgirem, você tem que encontrar soluções. As prioridades das atividades podem mudar em fração de segundos e tudo isso quase sempre é visando atender níveis altíssimos de qualidade exigidos/esperados pelos clientes e garantir competitividade perante as empresas concorrentes. Então, quanto mais se resisti as mudanças, mais se desgasta emocionalmente.

Autoresponsabilidade

Se tem algo que ficou ainda mais evidente para mim trabalhando numa multinacional é que nós somos responsáveis e protagonistas das nossas histórias. Quem fica na posição de vítima, procurando culpados, justificativas e/ou desculpas por não crescer e evoluir profissionalmente, por não entregar o resultado esperado, simplesmente não consegue se destacar nesse ambiente. É mais um no meio de uma multidão. Mas se você é aquele que corre atrás, estabelece um bom networking, é ético, focado em resultados, em fazer mais com menos, pensa fora da caixa...aumenta muito as chances de ser visto e reconhecido positivamente.

Autogerenciamento

Por mais que exista líder, gerente, supervisor a quem você está subordinado, aprendi que você tem que ser o principal gerente de si mesmo. Estou falando não só dos resultados da entrega do trabalho que esperam do nosso trabalho, mas dos níveis de carreira que queremos alcançar, das horas extras que muitas vezes precisamos fazer e que podem impactar nossa qualidade de vida, de gerir nossas emoções e a nossa mente. Quanto maior for o cargo, maior será a pressão que vamos receber. Com isso, quase sempre o meu superior não tinha como prioridade gerenciar  a mim e as minhas demandas. De certa forma, ao ser autogerenciável ganhei uma certa “autonomia”, porém  percebi que mesmo diante de toda  essa “liberdade” é muito importante estar alinhado com as expectativas do seu superior. Portanto, a dica é: sempre que tiver oportunidade, peça um feedback para saber se está no caminho “certo”.

Aprender a aprender

Para atender mudanças constantes que acontecem o tempo todo nos bastidores de uma multinacional, todos os dias é necessário aprender. Se considerar o sabe-tudo é uma verdadeira cilada, ainda que você seja um especialista em um determinado assunto. Sempre tem algo novo surgindo e portanto, algo a aprender. Então, por mais que se tenha conhecimento, é importante ter a mente aberta para aprender mais a respeito ou até mesmo rever o conceito das coisas. Como bem disse o filósofo grego Epiteto: “É impossível para um homem aprender aquilo que ele acha que já sabe”.

Se gostou, compartilhe. Se quer saber mais, deixe sua pergunta nos comentários.

Até o próximo post!

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.