Como Vencer o Medo e Encontrar Coragem Para Fazer Intercâmbio?

0 42

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Muitos amigos me perguntam se não senti medo de que algo desse errado em meu intercâmbio. Quando eu respondo que sim, esses mesmos amigos emendam a seguinte afirmação: "Nossa, você deve ser muito corajoso!". Eu gostaria de compartilhar neste texto, o que eu entendo sobre coragem e principalmente, dar dicas de como ela pode ser desenvolvida.

Coragem é fundamental para que você dê o primeiro passo em direção aos seus objetivos, mas o que muita gente se esquece é que ela não nasce do nada, assim como praticamente nenhuma habilidade que desenvolvemos ao longo de nossas vidas. Lembre-se: Você não nasceu andando ou falando! Essas foram coisas que você desenvolveu durante a infância.

Dessa forma, eu costumo dizer que coragem se constrói, se alimenta e se desenvolve até que você tenha a quantidade suficiente para sair da zona de conforto. No meu caso, a minha coragem se construiu a partir de algo que me incomodava e se desenvolveu através de alguns outros fatores que eu alimentei ferozmente. E são esses detalhes que eu gostaria que vocês conhecessem a partir de agora.

Fatores que incomodam ou que impulsionam

Como assim, sua coragem se construiu a partir de um fator que o incomodava? Exatamente! Assim como Rubem Alves nomeou um de seus livros, eu costumo dizer que "ostra feliz não faz pérola". Eu vivia um momento de dúvida na minha carreira.

Apesar de atuar em uma área que eu gostava, ter a oportunidade de realizar trabalhos relevantes e estar em uma multinacional, eu sentia uma vontade muito forte de mudar, pois estava prestes a me formar e não falava Inglês. Naquela época eu não me interessava muito pela língua e, consequentemente, tinha uma dificuldade tremenda em aprender o básico.

Eu Já havia tentado estudar em diferentes escolas e naquele momento estudava com um professor particular, porém minha dedicação não era das maiores (não me orgulho disso, mas preciso ser honesto, pois só assim conseguimos construir algo verdadeiro). Além disso, apesar de eu estar em uma multinacional o uso do Inglês no meu dia a dia não se fazia extremamente necessário e eu conseguia compensar essa lacuna me dedicando em outras frentes.

Alimentado a coragem

Iniciei então, uma busca incessante por informações sobre intercâmbio. Comecei logo de cara visitando algumas agências para cotar de três à quatro opções de destinos de viagem, pois a parte que mais me preocupava nesse projeto era, sem sombra de dúvidas, o investimento que eu teria que fazer.

Depois de conhecer as opções através das agências fui para a internet e comecei a pesquisar aquelas possibilidades online. Busquei no YouTube, acessei páginas do Facebook, blogs e tudo o mais que você possa imaginar.

Ferozmente, alimentei minha coragem com dados relevantes e foi esse o ingrediente necessário para fazer crescer aquele pequeno estímulo gerado pelo incômodo que eu vivia. Eu comecei a perceber que o que parecia ser loucura, na realidade já era feito por muitas outras pessoas e que, definitivamente, eu poderia ser bem sucedido desde que eu me planejasse minimamente.
 
O medo como fator motivacional

Eu tive medo como qualquer outra pessoa que nunca fez intercâmbio teria, isso não mudou. O que eu fiz e que deu certo, foi buscar uma razão pela qual valeria a pena enfrentar aquele medo (dúvida em relação à carreira, dificuldade em aprender inglês no Brasil) e depois ter alimentado tudo aquilo com todas as minhas energias para concretizar meu objetivo: fazer um intercâmbio.

Possivelmente, o fator determinante tenha sido não estar muito feliz com o rumo que as coisas estavam tomando em minha vida. Sabe aquela coisa da integridade? Sobre vivermos de acordo com nossos valores e convicções?

É importante que nos perguntemos diariamente se estamos vivendo de acordo com aquilo que acreditamos e pregamos ou se estamos apenas seguindo um fluxo em modo automático. Ter essa percepção mudou e continua mudando minha vida desde então.

O medo é um fator muito importante em nossas vidas. O meu maior medo é deixar de ser aquilo que eu sou e não "encontrar" coragem para viver os meus maiores sonhos. Agora você, tem medo do que?

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.