Descubra Por que o Conformismo Não te Leva a Lugar Algum

Google

Quem se conforma com o que tem, nunca irá evoluir.

Na faculdade tem aquele professor medíocre que ministra aula lendo slide, no trabalho aquela atividade que não te desafia, na vida amorosa aquela pessoa que não te apoia em nada e critica tudo que você tem vontade de fazer.

E você? Você acha tudo normal, prefere o lema de vida mais fracassado que eu conheço: “aceita que dói menos”. Honestamente existem coisas que são inaceitáveis e viver de forma medíocre é uma delas, acho até que é pecado.

Que tipo de aprendizado/conhecimento você espera ter se ficar condicionado apenas a aula do professor medíocre que ministra aula lendo slide? Que tipo de experiência profissional e valor para o mercado de trabalho você acha que terá realizando uma atividade que não te desafia? Que tipo de vida você acha que vai construir ao lado de uma pessoa que não tem um relacionamento de parceria e critica tudo que você tem vontade de fazer para evoluir? Bom, acho que depois de fazer uma reflexão sobre isso, você mesmo terá as respostas.

O fato é que se você viver conformado com o que tem, nunca irá evoluir. Não estou aqui defendendo a ingratidão, muito pelo contrário. Você tem que ser grato pelo que tem, mas sempre ter claro na sua mente o que você pode fazer para ir além, para ser uma pessoa acima da média. Porque, afinal, você não é todo mundo e apesar da vida não te apresentar nenhuma garantia, você tem um mundo de possibilidades e oportunidades.

Vamos aos exemplos?

1) Eu me formei em administração numa faculdade que nem de longe tinha compromisso com seus alunos, a estrutura era bem complicada. Além de alguns professores serem medíocres na didática de suas aulas, a “biblioteca” só passou a existir quando eu já estava na metade do curso. Enquanto uma parte estava no grupo do "aceita que dói menos", eu passava muitos fins de semana indo à biblioteca de uma outra faculdade, virando muitas madrugadas pesquisando, estudando, participando de cursos e lendo livros e mais livros, porque eu sabia que meu futuro profissional e as conquistas que eu queria fazer dependia da minha capacidade de ir além. Fácil? Lógico que não, mas não era impossível.

2) Paralelo a isso tudo, passei por algumas empresas onde eu me sentia sugada e não era reconhecida. O que que fiz? Bom, primeiro aprendi tudo que eu podia aprender, mantive minha postura profissional, busquei sempre fazer o meu melhor onde eu estava e busquei outras possibilidades no mercado de trabalho. E nessa busca, tive a oportunidade de participar de um processo seletivo extraordinário com candidatos de instituições renomadas da minha região. Confesso que fiquei um pouco intimidada e o primeiro pensamento foi: minhas chances são mínimas, e agora? O não eu já tinha, o que estava em jogo naquele momento era que não importava de onde eu vinha e sim para que eu estava lá. Pois então, eram cerca de 20 candidatos, eu fiquei entre as 3 melhores, não fui contratada... mas recebi um feedback extremamente positivo.

O que eu ganhei com isso? Várias isenções em cursos, estagiei numa empresa que contribuiu muito na minha formação acadêmica, trabalho numa multinacional e já fui promovida nessa empresa, tenho um salário razoável, estou cursando uma pós-graduação, tenho novos planos profissionais e pessoais, já realizei alguns sonhos, conheço pessoas extraordinárias e minha meta de vida é sempre evoluir como pessoa e como profissional.

“O progresso acontece fora da zona de conforto. Se você quer evoluir tenha consciência que sempre tem algo que você pode fazer para ir além. Sempre existirão possibilidades se você souber aproveitar as oportunidades”.  (Mikaella Souza)

Até o próximo post 🙂

Google

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.