Os Efeitos da Globalização no Mercado de Trabalho

0 7.861

Não se pode negar que no contexto do mundo globalizado, a única certeza que se tem é que as coisas mudam e que essas mudanças ocorrem cada vez mais rapidamente. 

Sem dúvida, a sociedade encontra-se em um ponto novo ponto de mutação marcado pela evolução tecnológica. A velocidade com que as transformações vêm acontecendo em todo o mundo, nas últimas décadas, afetam profundamente os interesses, os valores, a cultura, as relações interpessoais, as relações de trabalho e consequentemente, o próprio mercado de trabalho. Com as novas tecnologias em microeletrônica, nanotecnologia, robótica, etc surge “um novo mundo”, onde acontece uma série de transformações, afetando a vida e o comportamento das pessoas. Não se trata apenas de novos produtos, mas também em novas formas de produzir, gerir negócios e pessoas. Com tudo isso, o dia a dia nas empresas sofre influência direta das mudanças que estão sendo introduzidas nos sistemas de gestão e produção e assim, novas exigências na qualificação e critérios de competências profissionais são e continuarão a ser exigidas.

 

A crise da mão de obra qualificada

Faz tempo que ouvimos falar da dificuldade de encontrar profissionais qualificados; que existem vagas, mas os candidatos não atendem aos requisitos e por aí vai. Não se pode negar que o sistema de ensino que temos aqui no Brasil é de certa forma "ultrapassado" e "engessado". O sistema educacional brasileiro infelizmente, não forma profissionais capacitados para atender o mercado de trabalho e nem tampouco estimula o empreendedorismo. Os que fazem a diferença sabem como é árduo e longo o caminho para chegar mais longe e não ser mais um na multidão.

Segundo o Fórum Econômico Mundial, as 10 competências principais para o futuro do trabalho em 2020 são: Resolução de problemas complexos, Pensamento crítico, Criatividade, Gestão de pessoas, Coordernação, Inteligência emocional, Capacidade de julgamento e tomada de decisão, Orientação para servir, Negociação e Flexibilidade cognitiva. Se você prestar bem atenção, vai perceber que a maioria dessas competências são comportamentais e não técnicas e que raramente vemos esses temas sendo explorados na sala de aula. Mas e agora que você tomou conhecimento das 10 competências do futuro, o que você vai fazer para se desenvolver? Você já tem alguma dessas competências?

Para ajudar você, separamos algumas dicas que podem te ajudar a ser um profissional mais competitivo:

 

1) Considere outras formas de aprender se desenvolver além do que a escola oferece. Ler livros, participar de cursos, seminários, palestras, congressos, etc. Opções não faltam, inclusive de forma gratuita. Me lembro bem dos tempos da minha graduação, além da deficiência na estrutura da faculdade que só disponibilizou uma biblioteca "meia boca" quando eu já estava na metade do curso e de ter tido professores despreparados ministrando disciplinas importantíssimas para o meu futuro, tive que buscar outras alternativas para não passar vergonha quando dissesse que era formada em Administração (foram madrugadas estudando, finais de semana pesquisando na biblioteca de outras instituições, etc).

 

2) Pense na Educação como investimento, não como uma despesa. Às vezes, precisamos sacrificar alguns desejos de curto prazo para investir na nossa educação e como recompensa, desfrutarmos daquilo que tanto sonhamos ou queremos no futuro. Quando eu tinha 21 anos ganhava um salário mínimo e tinha péssimas condições de trabalho, apesar de saber que a única forma de melhorar de vida era através dos estudos, por um tempo achei impossível pagar uma faculdade...porém depois de uma sábia conversa com a minha mãe, ela me fez ver que se eu abrisse mão de gastar o meu dinheiro com roupas, perfumes e outras coisas supérfluas, daria para arcar com os custos da mensalidade. E foi assim, foram tempos bem apertados, mas que valeram muito a pena. Anos depois me formei, tive experiências profissionais maravilhosas, consegui ganhar uma grana legal e realizar muitos sonhos.

 

3) Nunca pare de estudar, se atualize. Sempre tem algo novo para se aprender, basta estar disposto. Com todo esse boom tecnológico, as empresas estão levando cada vez mais a sério o princípio da eficácia (fazer mais em menos tempo) e da eficiência (fazer a coisa certa), portanto a cada dia surge um novo método de fazer as coisas e você tem que conhecer se quiser ser visto como alguém diferenciado e que agrega valor.

 

4) Seja o ponto fora da curva. O fato de "todo mundo" estar fazendo, não quer dizer que seja o "certo" ou mais inteligente a ser feito.

 

5) Fique atenção aos detalhes. As pessoas mais bem sucedidas que eu conheço, simplesmente conseguiram enxergar o óbvio que muitos não conseguiram ver ou deram valor. E um exemplo bem interessante é  a história do post it.  Clique aqui para conhecer essa história

 

6) Faça além do que é solicitado. Pessoas que têm uma mentalidade "medíocre" fazem apenas o que precisa ser feito e nada mais. Porém, as que possuem a mentalidade que eu gosto de chamar "mentalidade da excelência" fazem de qualquer ocasião, uma oportunidade para surpreender. Um exemplo na prática: Algo bem simples que eu costumo fazer toda vez que alguém me pede remédio para dor de cabeça é além do remédio, entregar um copo de água...é engraçado como quase todo mundo fica surpreso com isso! Mas como a pessoa vai tomar o remédio sem a água, gente?

 

7) Tenha uma postura ética. Por onde quer que você passe, aprenda a deixar as portas abertas, evite inimizades, intrigas ou falar mal de alguém. Algo muito recorrente que eu vejo é ver algumas pessoas que não têm consciência das voltas que o mundo dá, querer sair do emprego e achar mais "vantajoso" ficar dando motivos para ser demitido do que ter a coragem de sair no "prejuízo" e pedir as contas. Nem sempre o que a gente "perde" é de fato um prejuízo, não é verdade?

 

8) Desenvolva uma atividade extra. Calma, não precisa morrer de trabalhar! Se envolver em uma atividade extra pode te ajudar a desenvolver outras habilidades, fazer outras conexões e ver outras possibilidades de atuação diante de uma mudança de carreira, mudar de segmento ou até mesmo diante de uma demissão.

Os desafios do mundo globalizado são enormes e inevitáveis. E se preparar é extremamente importante se não quisermos estagnar na vida. E como bem disse o grande ex-técnico da seleção brasileira de vôlei, Bernadinho: “A vontade de se preparar tem que ser maior do que a vontade de vencer. Vencer será conseqüência da boa preparação.”

Até o próximo post!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.